domingo, 27 de junho de 2010

Dias 25 a 27/06/10 – Rota do Sol – Salinas, Montañita e Puerto López

No retorno de Galápagos saímos de Guayaquil e fomos para o litoral sul do Equador em Salinas, onde pernoitamos. No dia 25 continuamos a percorrer o litoral na “Ruta del Sol”. Passamos por Montañita, uma praia cheia de bares e restaurantes, a praia mais badalada pela moçada do Equador. Finalizamos o dia em Puerto López.

Montañita


No dia 26 fizemos um passeio de barco na Isla de La Plata, uma reserva biológica que faz parte do Parque Machallila. Chegando lá fomos recepcionados por cinco tartarugas e depois fizemos uma caminhada de três horas, observando atobá de patas azuis, atobá de patas vermelhas e atobá mascarado. Também vimos fragatas e albatrozes. Antes de voltarmos fizemos snorkeling onde vimos moréia, lula e peixes coloridos.



No retorno fizemos observação de baleias jubarte, impressionante. De junho a novembro elas vêm ao litoral do Equador para se acasalar e ter os filhotes. No acasalamento o espetáculo fica por conta dos machos, que para chamar a atenção das fêmeas, saltam como forma de demonstrar sua força. As baleias ficam de 3 a 20 minutos debaixo d’água e voltam à superfície para respirar, soltando os famosos jatos pelas costas.
Como gostamos muito da observação, no dia 27 fizemos outro passeio de barco para observar baleias e fazer snorkeling.

video







Puerto López tem como principal atividade a pesca. Na praia vimos vários barcos pesqueiros atracados e pela manhã os pescadores retornam da pescaria vendendo peixes ali mesmo na praia. Vimos peixe espada, pargo, picudo (enorme), atum, robalo, wahu, ...






cintiaschultz@yahoo.com.br
flbaguiar@yahoo.com.br

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Dias 17 a 24/06/10 – GALÁPAGOS – MERGULHO COM LOBOS E TUBARÕES

Galápagos é um conjunto de ilhas jovens geologicamente, formadas por lava. A última erupção ocorreu em 2005 na ilha de Isabela. A melhor forma de conhecer o local é em um cruzeiro, pois as distâncias entre as ilhas são enormes e o barco navega à noite, economizando tempo. Os povoados são simples, sem muita badalação, más com muita beleza natural, praias, montanhas, vulcões, flora e fauna. É um local onde os animais não têm medo do ser humano, vem a seu encontro e é imprescindível gostar do mar e de navegar.



No dia 17 chegamos em Santa Cruz e fomos à praia de “Tortuga Bay” onde tartarugas marinhas depositam seus ovos à noite. Vimos iguanas marinhas, caranguejos e árvores de cactos.







No dia 18 pela manhã fomos à estação Charles Darwin, um centro de estudos e reprodução em cativeiro de tartarugas e iguanas terrestres. À tarde, antes de iniciarmos o cruzeiro, fomos à parte alta da ilha para ver túnel de lava e tartarugas terrestres em seu habitat natural.










Durante a noite o barco navegou até a Ilha Seymour Norte onde fizemos uma caminhada para conhecer a fauna e flora do local. Vimos algumas espécies de plantas endêmicas, o pássaro atobá de patas azuis, fragatas com os peitos vermelhos inflados, iguanas e lobos marinhos. Na seqüência o barco foi para a Ilha de Bartolomé onde fizemos snorkeling com peixes de várias cores e pingüins. No meio da tarde fizemos uma caminhada a um mirador e no final da tarde o barco iniciou navegação para a próxima ilha.











No dia 20 acordamos na Ilha Plaza Sul onde fizemos mais uma caminhada para conhecer a fauna e flora do local. Depois fomos para a Ilha Santa Fé, uma praia linda com areia branca e águas transparentes. Fizemos snorkeling com arraias, lobos marinhos, tartarugas e peixes de diversas cores. Os lobos marinhos dão um show a parte, nadam ao nosso redor, chegam muito próximo e adoram brincar com quem está mergulhando. Em uma parte da praia onde não tínhamos permissão para mergulhar, havia tubarões e tartarugas marinhas. Passamos de bote e enfiamos a cara na água para ver os bichos.



Fragatas acompanham as embarcações, aproveitando o vácuo, parecem mascotes.


À noite chegamos à Ilha de San Cristóbal, ponto final do cruzeiro. A cidade tem um calçadão à beira mar onde ficam vários lobos marinhos.





No dia 21 pegamos um passeio de barco, onde fizemos dois mergulhos com lobos marinhos, diversos peixes coloridos, arraias e tartaruga. O segundo fizemos em um lugar chamado Leon Dormido, no meio da fenda de uma rocha, água azul e INESQUECÍVEL MERGULHO COM TUBARÕES DE GALÁPAGOS.



No dia 22 fizemos mais um passeio de barco, passando pela Ilha Floreana e finalizando o dia na Ilha Isabela. Conhecemos a Ilha de Floreana, vimos iguana vermelha e fizemos snorkeling com diversos peixes e tartarugas.
No dia 23 contratamos um snorkeling com um pescador e mergulhador local. Vimos diversos peixes coloridos, arraias, tartaruga e o último mergulho fizemos em uma fenda de um metro de largura e uns dois metros de profundidade, com TUBARÕES TINTOREIROS percorrendo alguns metros acima dos animais. Tinha mais de dez tubarões passando muito próximo de nós, uma mistura de excitação e medo.

Na parte central, fenda onde ficam os tubarões




Dia 24 pegamos uma lancha para a Ilha de Santa Cruz e retornamos à Guayaquil.
Metade do tempo ficamos em um cruzeiro e a outra metade fizemos passeios de um dia por conta própria. Tivemos muita sorte por ter transporte, já agendado por outros passageiros, exatamente para os locais que queríamos. Valeu a pena ficar mais dias.
O cruzeiro foi bom, a única queixa foi o ruído excessivo do motor e gerador. Demos azar da nossa cabine ficar do lado da sala de máquinas. Já as lanchas rápidas, com dois e três motores de 200 e 250hp, para transporte diário entre ilhas, são muito rápidas, mas batem muito pela alta velocidade, parecendo que vão partir ao meio. Sem dúvida um remédio contra enjôo tem que ser tomado.
Galápagos foi muito mais que um sonho, a natureza vem a seu encontro, os animais parecem não ter medo dos seres humanos.

cintiaschultz@yahoo.com.br
flbaguiar@yahoo.com.br

Dia 14, 15 e 16/06/10 – Guayaquil

No dia 14 pela manhã fomos conhecer mais uma fábrica de chapéu e a tarde viajamos até Guayaquil.

No dia 15 passeamos a pé pela cidade de Guayaquil, visitamos o parque Simão Bolívar onde há iguanas soltas. Na sequência percorremos o Malecón, que é um calçadão ao longo do Rio Gayas, que circunda a parte central da cidade e no extremo norte do Malecón vimos o bairro de Peñas, que é uma “favela” reurbanizada, caminhamos umas 60 quadras. A tarde descansamos vendo o jogo do Brasil. A noite percorremos a parte sul do Malecón, mais algumas quadras de caminhadas.





Fotos do Malecón






O Malecón e a revitalização do bairro Peñas foi uma ótima obra do governo/município de Guayaquil visando atrair turistas, com todo o percurso repleto de seguranças para garantir a tranquilidade no local. O bairro de Peñas fica no morro de Santa Ana e somente parte do morro foi revitalizado. A parte antiga é dividida da parte nova por portões e a orientação dos seguranças foi que não fôssemos para a outra parte, pois seríamos assaltados. A parte revitalizada é um exemplo para as “favelas” do Brasil de que é possível fazer um projeto urbanístico bonito mesmo em “favelas”.

Fotos do bairro da Peña






Vista da cidade


No dia 16 ficamos em função de um pacote turístico para Galápagos. A saída de Guayaquil tem o melhor preço do Equador e do mundo.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Dia 12 e 13/06/10 – EQUADOR!!!

Saímos cedo de Tumbes para cruzar a fronteira para o Equador. Passamos pela imigração e aduana do Peru, passamos a fronteira, más não encontrávamos a imigração e aduana do Equador. Diferentemente dos outros países que a imigração e aduana estão na via de entrada, sendo obrigatório passar por eles antes de ingressar ao país, no Equador estão no meio da cidade e separados, sendo possível ingressar no país sem os controles de imigração. Depois de perguntar para algumas pessoas conseguimos achar, evitando futuros problemas na saída.



Logo que entramos no Equador o cenário mudou completamente, o entorno se encheu de verde da vegetação, que não víamos desde Buenos Aires. Fomos direto a Cuenca, na região de montanha do Equador, a 2535 m.s.n.m., na Cordilheira dos Andes. Cuenca tem 500 mil habitantes, 3ª cidade do país e com maior poder aquisitivo do Equador, declarada como patrimônio da humanidade pela UNESCO.
No dia 13 pela manhã fizemos um city tour. Sem dúvida a maior atração foi a nova Catedral construída em tijolo a vista e cúpulas azuis. Sua construção foi iniciada em 1880 e finalizada somente em 1967. A cidade é cortada por três rios com pontes e casas construídas na época da ocupação espanhola. No final do city tour visitamos a fábrica de chapéus Paredes onde vimos o processo de fabricação atual e antigo do chapéu Panamá, que custa de US$10 a US$500. Depois fomos às cidades de Gualaceo, Chordeleg e Sig Sig, onde há feiras de jóias, fábrica de chapéu Panamá e restaurantes típicos da região, onde se assa o porco inteiro na porta do restaurante.













Ficamos impressionados com a quantidade de barracas de doce em redor da catedral. Os doces ficam expostos o dia inteiro com moscas pousando.


cintiaschultz@yahoo.com.br
flbaguiar@yahoo.com.br

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Dia 11/06/10 – Extremo Norte do Peru – Praia Máncora até Tumbes - Manguezais

Aproveitamos o hotel até o meio-dia e depois fomos até Tumbes, passamos por várias praias existentes no caminho. Chegamos em Tumbes às 15:30h e fomos direto para Puerto Pizarro, local de onde saem excursões para os manguezais, chamados de "manglares". Fizemos um passeio de barco de 1:30h e visitamos um criadouro de crocodilos “bicudo”, a ilha de pássaros e demais ilhas dos arredores.





A grande atração do passeio foi a ilha dos pássaros, pela quantidade e pelo grande papo vermelho do macho das fragatas, utilizado para atrair a fêmea. O barco chegou muito próximo das aves, abrilhantando mais ainda a experiência.









cintiaschultz@yahoo.com.br
flbaguiar@yahoo.com.br